Origem do pagode

                                           Origem do Pagode


pagode é um gênero musical brasileiro originado no Rio de Janeiro, a partir da cena musical do samba dos fundos de quintais, muito comuns no subúrbio da cidade. Esta é a forma pejorativa e preconceituosa que esta palavra assumiu.
No início, o pagode não era exatamente um gênero musical. Pagode era o nome dado às festas que aconteciam nas senzalas e acabou tornando-se sinônimo de qualquer festa regada a alegria, bebida e cantoria. Prova de que o nome em nada tem a ver com o ritmo, é a música “Pagode de Brasília” gravada por Tião Carreiro em 1959, cuja roupagem em nada lembra nenhuma das variações do samba. Isso pode ser bem percebido pela letra “Pagode do Vavá” de Paulinho da Viola, “Pagode pra valer” de Leci Brandão ou qualquer outra do grupo Fundo de Quintal, considerado por muitos o primeiro grupo de pagode do Brasil.
O termo pagode começou a ser usado como sinônimo de samba por causa de sambistas que se valiam deste nome pra suas festas, mas nunca o citaram como estilo musical até então.

O pagode designa festas, reuniões para se compartilhar amizades, música, comida e bebida. Surge como celebração do samba em meados do século XIX e se consolida no século XX no Rio de Janeiro. Mesmo antes já eram celebradas estas festas em senzalas de escravos negros e quilombos. Com a abolição da escravatura e fixação dos negros libertos no Rio de Janeiro e que têm uma relação intrínseca com o sincretismo de religiões de origem africana, como o candomblé, a umbanda - o pagode se consolida com a necessidade de compartilhar e construir identidade de um povo recém liberto, e que precisa dar outra função ao corpo que até então é somente instrumento de trabalho. Por isso a relação estreita entre música e dança na cultura de origem africana, além do fato de ter asíncopa como principal característica da construção técnica-musical, derivada da percussão marcadora do ritmo.[editar]Gênero

Antigamente, pagode era considerado como festa de escravos nas senzalas. No final da década de 1970, no Rio de Janeiro o termo passou a ser associado a festas em casas e quadras dos subúrbios cariocas, nos calçadões de bares do Centro do Rio e da periferia, regadas a bebida e com muito samba. A palavra pagode no sentido corrente surgiu de festas em favelas e nos fundos de quintaiscariocas que falavam sobre sentimentos (alegrias e tristezas) das pessoas que lá moravam.
samba adquiriu diferentes formatos ao longo de várias décadas, entre os quais, "samba de breque""samba-canção""samba-enredo""samba de partido-alto""samba-puladinho", "samba sincopado"samba de gafieira"samba de rancho"sambalanço,samba-rock"samba de roda" e Samba-Reggae".
E após a década de 70, começaram a associar o nome pagode aos sambas feitos por grupos musicais, normalmente em músicas com temáticas românticas ou com versos de improviso. Porém o nome que melhor se aplicaria a estes seria o samba dolente e o partido alto.[1]
Nessa época foram introduzidos novos instrumentos principalmente pelo grupo Fundo de Quintal ao cenário do samba como: o repique de mão criado pelo músico Ubirany, o tantã (criado pelo músico e compositor Sereno) e o banjo com braço de cavaquinho (criado por Almir Guineto). Essa nova roupagem ajudou a firmar a idéia de que um novo ritmo surgia.[1]
Fundo de Quintal). E na década de 1990, o pagode ganhou uma roupagem mais comercial, influênciado por outros gêneros como R&B e Soul Samba-Rock, Funk carioca e Axé musica com grandes índices de vendagem. Grupos não só cariocas, mas também paulistanos tiveram um êxito, notadamente por tocarem um estilo mais romântico. Hoje, este pagode comercial convive com o de raiz, e ambos têm sucesso comercial no Brasil
Com o passar do tempo, o gênero passou a incorporar, às vezes, instrumentos como o teclado (como em "Parabéns Pra Você", do Fundo de Quintal) e na década de 1990, o pagode ganhou uma roupagem mais comercial, influenciado pela aparição de diversas bandas que vinham de São Paulo, originando o Pagode Romântico (ou pagode paulista) com musicas que atingiram grandes índices de vendagem. Hoje, este pagode comercial convive com o de raiz, e ambos têm sucesso comercial no Brasil SoulSamba-RockPopAxé music[5] com grandes índices de vendagem.
A influência da música estrangeira estava presente não apenas na sonoridade mas também nas escolha das roupas e utilização de coreografias (presente em grupos americanos como The Temptations e The Stylistics)
Grupos não só paulistanos, mas também cariocas e baianos, tiveram um êxito notadamente por tocarem um estilo mais romântico.


5 comentários:

  1. Que bosta lixosa de cagada na bera
    Quem fez isso e mais pancada que um pica pau

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. va tomar no seu cu seu filho da puta desgraçado minino fila da puta fi du exu fido cadrunfo vo contar tudo pa minhaia

      Excluir
  2. https://www.youtube.com/watch?v=gAjuMgwdFb8 pagode não e samba ex , de pagode ritimo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nada a ver porra so retardado gosto de geometrey dash shahushausahsuahsuahspu isokd coiducviganbtofv98aibfguj capetaaaaaa deu sedmofe medonio
      capeta maluco fila da manhia

      Excluir
    2. nada a ver porra so retardado gosto de geometrey dash shahushausahsuahsuahspu isokd coiducviganbtofv98aibfguj capetaaaaaa deu sedmofe medonio
      capeta maluco fila da manhia

      Excluir